01

Resenha do Livro o Método Bullet Journal (Original)

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019

Muitos dos meus clientes quando veem me procurar dizem a famosa frase: “Eu não consigo me organizar de jeito nenhum” e estão super frustrados. Realmente um dos principais problemas das pessoas não conseguirem se organizar e não terem encontrado a ferramenta correta para o seu perfil. Somos pessoas diferentes então porque temos que usar as mesmas ferramentas? 

Para conseguir atender esses clientes a criarem sua organização pessoal estudo diversas ferramentas e métodos com o intuito de mostrar a eles e definirmos qual a melhor para o seu perfil. São muitas ferramentas digitais e analógicas, metodologias e sistemas que fica até difícil escolher sem uma orientação profissional.

Muitas pessoas já se organizam com cadernos, mas quando precisam encontrar alguma informaçāo se perdem pois falta um sistema. Hoje tenho o orgulho de fazer a resenha do livro do Ryder Carrol inventor do método Bullet Journal que uso e ensino. Meu primeiro post sobre o assunto foi em abril de 2016, na época não havia quase nada em português falando sobre o assunto, hoje milhares de blogs e canais falam do assunto. Veja os post aqui no blog que falam sobre Bullet Journal: 

 

  1. 10 dicas de como usar o bullet journal para se organizar

  2. Vídeo: Como fazer bullet journal  

  3. Vídeo: Como usar o bullet journal

  4. Vídeo: Palestra Bullet Journal com Moleskine  

  5. Moleskine: sua ferramenta simples e flexível 

  6. 5 dicas de como usar um smash book para se organizar

  7. VEDA Palestra sobre Bullet Journal com a Moleskine na Fnac

  8. Resenha: Diário em Tópicos da Rachel Wilkerson Miller 

  9. Vídeo: materiais que uso no bullet journal 

  10. Vídeo: Qual a diferença entre agenda, planner e bullet journal?

 

Imagens dos meus! Deixe nos comentário se gostaria de vê-los em detalhes:

Fonte: Arquivo Pessoal da Kalinka

 

 

Fonte: Arquivo Pessoal da Kalinka

 

Vamos a resenha do livro, lembrando que esse é o primeiro livro oficial, já tem resenha aqui no blog do Diário de Tópicos que fala do assunto, mas não é um livro oficial. 

 

São 326 páginas onde Ryder Carrol fala sobre o método e como utilizá-lo. As ferramentas necessárias para quem quer começar o Bullet é apena um caderno, uma caneta e um papel.

 

No livro Ryder conta que tinha DDA (Déficit de atenção) e por isso não conseguia manter o foco, que experimentou diversos sistemas de organização, que gastou dinheiro e tempo e que nenhum tirava a sensação de que estava esquecendo algo. Sendo assim resolveu criar sua própria metodologia que mas tarde ensinou a uma pessoas, depois montou o site e assim o Bullet Journal se tornou um movimento global. As pessoas foram adaptando o método e hoje temos a comunidade do BUJO, muitos coloridos e cheio de desenhos, o dele mesmo é feito com caneta preta e super simples (risos). 

 

O livro é divido em 5 partes:

  • Introdução

  • O sistema 

  • A prática

  • A arte

  • Conclusão

 

Esse é um livro guia e nele você vai aprender:

[   ] Registrar o passado

[   ] Organizar o presente

[   ] Planejar o futuro 

 

Na introdução ela fala como o método ajudou diversas pessoas com doenças, distúrbios ou até diminuir a ansiedade. Que a promessa dele é ajudar você a realizar mais, trabalhando menos, pois ajuda a identificar o que é importante e se concentrar nisso, eliminando o que é irrelevante. Isso é ser mais produtivo, manter a atenção plena e descobrir seu propósito. Hoje com tantas distrações tecnológicas fica cada vez mais difícil manter o foco e usando o Bullet Journal, uma ferramenta analógica é possível esvaziar a mente e manter essa distância, fazendo você agir ao invés de reagir. 

Temos dois componentes principais: o sistema e a prática. A primeira parte do livro ensina como fazer e a segunda porque fazê-lo. Ele lembra que as pessoas acham que estar ocupado é ser produtivo e isso não é real, identificar as prioridades é fundamental para uma vida mais tranquila e assertiva. 

Esvaziar a mente é o primeiro passo, fazendo aquela famosa lista de tarefas, depois separe o que é você realmente está fazendo, o que deveria estar fazendo e o que gostaria de estar fazendo. Isso ele chama de inventário mental. Você descobrirá dessa forma onde está investindo sua energia, o que é importante e o que é cirstuancial. 

O método pode ser feito de forma digital, então porque usar o caderno? Ele funciona porque paramos para pensar, refletir, organizar e nos concentrar, além da possibilidade de flexibilidade e possibilidade de usar a criatividade, muitas vezes deixadas de lado por causa das facilidades da tecnologia. Escrever à mão também ativa múltiplas regiões do cérebro, ao escrever pensamos e sentimos. Além disso aprimoramos o modo de sintetizar as informações.

Resumindo o sistema consiste em: listas de afazeres/tarefas, diário e agenda. Elas podem ser combinadas ou misturadas sem problemas. Partes do Bullet Journal:

 

  • Índice: serve para localizar o conteúdo;

  • Registro do futuro: datas já pré definidas numa visão anual;

  • Registro mensal: datas importantes no mês;

  • Registro diário: serve como um diário e pode ser utilizado para escrever as tarefas do dia ou pensamentos;

  • Registros rápidos (eu chamo de palavras chaves ou símbolos) são usadas para resumir ações;

  • Coleções são módulos para guardar conteúdos relacionados, tudo que deseja monitorar;

  • Migração: quando algo não for feito ele pode migrar;

 

O que é importante?

 

  • Numerar as páginas

  • Criar tópicos (títulos para as página) 

  • Usar bullets para criar sentenças curtas (tarefas, eventos e notas) 

  • Usar símbolos e marcações personalizados (use o mínimo possível)

  • Fazer um índice (recomenda-se deixar 4 páginas)

  • Fazer a migração, ou seja, o que não foi realizado passa para a próxima data assim enquanto não fizer, ficará pendente. Faça disso um hábito, essa é uma oportunidade de avaliar onde está gastando seu energia e refletir

 

Na prática, por que deve usá-lo? Para ter a oportunidade de refletir. De manhā planeje e a noite revise o que foi feito. Veja como pode produzir mais se desconectando, como consegue ser mais produtivo e agir mais tendo as coisas claras. Crie o hábito, utilize da determinaçāo para fazer suas conquistas. Esse método nāo vai funcionar para você se nāo procurar a sua essência e significado em fazê-lo, ele serve como um motivador, como um esclarecedor de objetivos (de curto, médio e longo prazo) para que assim possa dividi-los em pequenas tarefas. Entāo simplifique e adiante as coisas, administre melhor o seu, assim conseguirá prever as mudanças, e lembre-se de agradecer sempre e nāo desistir, persistência é a palavra chave. Siga o seguinte: 

 

  • Planejar

  • Executar

  • Verificar

  • Agir 

 

O Bullet Journal pode se tornar uma ferramenta de autoconhecimento e ser sua zona de escape. Tenha em seu Bullett Journal: objetivos, desafios,  listas, ideias, tarefas, planejamento, monitoramentos  e nāo se prenda ao design, se tem letra bonita, de sabe desenhar, isso é apenas um incentivador para alguns. Faça parte da comunidade do BUJO e tente pelo menos por dois ou três meses. Busque no Instagram e Pinterest inspirações ou visite o site oficial bulletjournal.com o do Ryder é bem minimalista e ele usa de 3 a 4 cadernos por ano. 

Segue os perfis brasileiros que o Ryder recomenda: 

 

Thais (@thatzbujo)

Maria Lowen (@meubulletjournal)

Yumi (@yumitshr)

Flora (@bujoterapia

 

Tenho muito a agradecer a Thaís Godinho do blog Vida Organizada que foi quem me incentivou a me aprofundar sobre o assunto. Também quero agradecer a Moleskine que me deu a oportunidade de ensinar sobre o métodos através de palestras promovidas por eles. Espero que tenha gostado da resenha do livro e deixe seu comentário abaixo se já leu livro, o que mais gostou e se usa o método?

 

Na comunidade de organizadoras profissionais recomendo seguirem a Gabriela Brasil que também aplica o método :) 

 

 

 

Para receber atualizações e novidades

Redes Sociais

Aplicativo